-

- Queria tanto que alguém me amasse por alguma coisa que eu escrevi. #cfa.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012


 
É fácil amar o outro na mesa de bar, quando o papo é leve, o riso é farto, e o chope é gelado  [...] Difícil é amar quando o outro desaba. Quando não acredita em mais nada. E entende tudo errado. E paralisa. E se vitimiza. E perde o charme. O prazo. A identidade. E fala o tempo todo do seu drama com a mesma mágoa. Difícil amar quando o outro fica cada vez mais diferente do que habitualmente ele se mostra ou mais parecido com alguém que não aceitamos que ele esteja. Difícil é permanecer ao seu lado quando parece que todos já foram embora. Quando as cortinas se abrem e ele não vê mais ninguém na plateia. Quando até a própria alma parece haver se retirado.    (Lídia Paina)
 
 

2 comentários:

  1. Me emocionei lendo o seu blog. Em particular essa postagem. E penso: o que seria de nós sem essa Força (Deus) que nos alimenta? O que seria de nós sem a nossa família, os nossos poucos, mais sinceros amigos? Acho que tudo que acontece na vida, não é por a caso. Não me atrevo mais a perguntar o por quê, mas pra quê acontece. Deus tem um proposito pra cada um de nós, as pedras no caminho, como Fernando Pessoa, farei um lindo castelo! Axé! Que bom que pessoas ainda escrevem com a alma =)

    ResponderExcluir
  2. Oi!Gostaria de convidá-lo a conhecer meu novo endereço:

    www.feitaparailetrados.blogspot.com

    Ainda estou arrumando a casa, mas já pode se abrigar por lá!
    Obrigada pelo carinho enquanto estivemos juntos no leiakarine.blogspot.com
    Tô te esperando...

    ResponderExcluir